Equilíbrio 1 de janeiro de 2016 Tags:
Por Ane

 

Dois mil e quinze foi um ano muito intenso. Tenho a sensação de que ainda não consegui compreender todos os aprendizados que ele veio me trazer.

Foram muitas mudanças que não me permitiram refletir bem sobre o cenário atual da minha vida e isso é algo que tem me incomodado bastante. Por outro lado, comecei a colocar no mundo projetos que só estavam na minha caixola, mesmo que de uma maneira bem incipiente (vide o tempo sem textos neste espaço), mas para mim esse processo também é um aprendizado. Do meu tempo, do tempo do mundo. Ajuda a me lembrar que eu não estou no controle de tudo, o que para uma ariana é algo bem importante. Além deste espaço, pude fazer algumas ações com o Coletivo amaré e também estou iniciando o Bem Te Vi Achados, tudo com uma amiga que amo muito.

Iniciei esses projetos, aos quais quero me dedicar muito mais em 2016; mudei de casa, mais que isso, estou começando a construir um lar com meu companheiro. Isso também é um aprendizado e tanto! Duas pessoas que escolheram estar juntas e compartilhar a vida e seus aprendizados, mas que tem perspectivas e hábitos muito diferentes. Um exercício diário de tolerância, amor e respeito. Acho que estamos indo bem. Ficamos muito felizes sempre que chegamos à nossa casinha. Aqui tem energia boa. =)

Mudei de emprego, aliás, mudei totalmente de rotina! Saí de um trabalho de 30h semanais bem flexíveis para outro de 40h semanais sem flexibilidade e trabalhando aos finais de semana! Ainda estou me adaptando a esse novo desafio e o segundo semestre de 2015 foi bem confuso por conta disso. Entendi que precisava desse tempo para me organizar internamente e também com relação a questões práticas do cotidiano que apareceram por conta dessa nova configuração.

Mais do que nunca estou dando valor ao meu tempo livre. À qualidade das minhas relações e redefinindo prioridades. É um momento de imersão em mim mesma e estou sentindo falta desse tempo de transbordamento para ter mais clareza dos caminhos a seguir. Dois mil e dezesseis será um período de adubar o solo das transformações em longo prazo que tanto aspiro. Será lindo e trabalhoso.

Em janeiro terei quatro dias de folga, e vou para perto da natureza com meu companheiro. Um tempo pra gente, para conexão com a terra, a mata e  a água (que tanto nos fazem bem). Dias de amor e de pensar sobre o ano que inicia. Em seguida, na primeira oportunidade que terei, farei uma viagem também para estar perto da natureza, mas desta vez sozinha. Serão os dias que enfim transbordarei em mim mesma e num retiro de silêncio e encontro com tudo que anseio e traçar um caminho bonito para colher esses frutos.

Enquanto isso, já estou planejando uma rotina para executar as coisas que estão nas prioridades e este espaço é uma delas! A rotina de escrita e postagem de textos vai mudar! Aguardem!

Adoro o final do ano por conta disso: é um momento de sermos mais amorosas/os conosco mesmas/os. De olharmos para o ciclo que se encerra e colocar energias de transformação e realizações no mundo. Que 2016 seja muito especial para todas/os nós.

 

P.S: Sei que o mundo, de uma maneira geral, está BEM complicado. Mas a busca da qual esse espaço fala também passa pela luta contra a forma como as coisas se dão. Tento fazer minha parte de diversas maneiras e em 2016, vou compartilhar com vocês!









Renata
quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016.

Olá, onde faz o retiro do silêncio? grata


Ane
terça-feira, 8 de março de 2016.

Oi Renata!
Eu não fiz o retiro de silêncio. Mas existem vários pelo Brasil.
Dê uma olhada em: http://www.dhamma.org/pt-BR/schedules/schsanti
=)